Skip to main content
Silvilaser 2019

Silvilaser 2019 - Poster Presentations »

MUDANÇAS NA COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA EM UM ÁREA DE EXPLORAÇÃO FLORESTAL

O Brasil tem a obrigação de propor medidas adequadas para atender a Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação florestal (REDD), visto a responsabilidade que o país possui sobre uma das maiores reservas mundiais de biodiversidade e de carbono, a Amazônia. O Manejo Florestal sustentável surge como a melhor alternativa para garantir uma produção continua dos recursos naturais em florestas tropicais, mas pouco se sabe sobre o nível de impacto desta atividade e a capacidade de resiliência das florestas manejadas. As informações obtidas através dos inventários florestais, sobre a estrutura e composição das florestas, são as maiores ferramentas para avaliação do potencial e definição de estratégias para o manejo. Assim, a temática tem despertado interesse particular nos estudos florestais atuais, sobretudo quanto às modificações sobre a composição florística. O objetivo da presente pesquisa foi avaliar as mudanças ocorridas na composição florística de uma unidade de Manejo Florestal Sustentável na Floresta Estadual do Antimary, Acre, Brasil. Tratamentos silviculturais e técnicas de manejo florestal de impacto reduzido foram aplicados à floresta. Os dados foram coletados, em duas ocasiões (2013, antes da exploração, e em 2015, após a exploração) em duas áreas distintas: área sem intervenção e área de exploração. Cinco parcelas de 1 ha foram instaladas em cada área, onde ocorreu o registro e medição do diâmetro de todos os indivíduos com DAP ≥ 10 cm a 1,30 m do solo. Os indivíduos foram identificados quanto ao grupo ecológico, grupo de uso e nome científico. A área sem intervenção apresentou 1.684 indivíduos, 50 famílias e 177 espécies, em 2013, e 1.615 indivíduos, 51 famílias e 180 espécies, em 2015. Na área de exploração ocorreram 2.141 indivíduos, 51 famílias e 179 espécies em 2013 e 1.886 árvores, 51 famílias e 178 espécies em 2015. Mais de 50% das espécies e dos indivíduos estão concentrados em 14 famílias em ambas as áreas e medições. Os valores dos índices de Shannon, Pielou e Simpson, indicam alta diversidade e equabilidade nas áreas, antes e após a exploração. A riqueza e diversidade da composição florística não sofreu alterações significantes nas duas áreas, indicado que o impacto devido à exploração não foi capaz de diferenciar a área explorada da condição natural da floresta.

Leilson Gomes
Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Geociências Aplicadas e Geodinâmica - Instituto de Geociências
Brazil

Marcus Oliveira
EMBRAPA-Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/Acre
Brazil

Rosiane Anjos
Faculdade Educacional da Lapa - FAEL, Departamento de Pós-Graduação em Direito Ambiental e Sustentabilidade
Brazil

Hudson Veras
Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal
Brazil

 


Powered by OpenConf®
Copyright ©2002-2018 Zakon Group LLC